O Social em Questão - Revista do Departamento de Serviço Social PUC-Rio - Página inicial
Rio de Janeiro, 21/05/2018
ISSN 1415-1804 (Impresso) | ISSN 2238-9091 (Online)
Ano 20, n. 39 - set.-dez./2017

Edição


Gramsci e ações coletivas populares: uma releitura dos protestos brasileiros no ciclo 2013-2015

Telma Cristiane Sasso de Lima

Gramsci and popular collective actions: a rereading of the brasilian protests
in the period 2013-2015

Analisa-se o processo político aberto pelos protestos brasileiros no ciclo 2013-2015, identificando a presença de esforços organizativos nas massas populares comprometidos com a construção de uma nova vontade coletiva hegemônica, observando a dialética indivíduo-coletivo. A obra de Gramsci embasou a análise deste momento de intensas relações políticas na sociedade civil – compreendida como espaço de disputas e antagonismos férteis à educação popular dedicada na (re)politização desses tensionamentos em relação a sociedade política.

Palavras-chave
Ação Coletiva popular;Protestos; Hegemonia; Gramsci.

  

Title: Gramsci and popular collective actions: a rereading of the brasilian protests in the period 2013-2015

The political process opened by the Brazilian protests in the cycle 2013-2015 was analyzed, identifying the presence of organizational efforts in the popular masses committed to the construction of a new hegemonic collective will, observing the individual-collective dialectic. This research was based on Gramsci’s work, because his analytical approach is strategic to analyze this moment of intense political relations in civil society – understood as a space of disputes and antagonisms. Popular education reappears in an attempt to (re) politicize tensions in civil society in relation to political society

Keywords
Popular Collective Action; Protests; Hegemony; Gramsci




Gramsci e ações coletivas populares: uma releitura dos protestos brasileiros no ciclo 2013-2015

LICENÇA CREATIVE COMMONS

Creative Commons Esta obra está licenciada com uma licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.