O Social em Questão - Revista do Departamento de Serviço Social PUC-Rio - Página inicial
Rio de Janeiro, 28/06/2017
ISSN 1415-1804 (Impresso) | ISSN 2238-9091 (Online)
Chamadas e instruções aos autores

A Revista



Chamadas de artigos: nº 39 - 2017.3

GRAMSCI E A REVOLUÇÃO RUSSA

Organizadores:
Profª Drª Inez Stampa (PUC-Rio)
Profª Drª Ana Lole (PUC-Rio e UFF)
Prof Dr Guido Liguori (Universidade da Calábria/Itália)


O ano de 2017 registra dois fatos marcantes na história das lutas dos povos: o centenário da Revolução Russa e os oitenta anos de morte de Antônio Gramsci. A Revolução Russa de 1917 foi expressão máxima do contraponto ao capitalismo ocidental na primeira metade do século XX e, ainda hoje, continua a impulsionar inúmeros grupos subalternos nas lutas por emancipação política e humana. Vinte anos depois desse evento revolucionário, em 1937, já às portas da Segunda Guerra Mundial, deu-se o falecimento precoce do filósofo Antônio Gramsci em virtude da dureza dos cárceres do fascismo italiano. Sobrevivem, contudo, as ideias do intelectual sardo e dos revolucionários russos de 1917, cujas contribuições são fundamentais para a nossa compreensão não somente daquele período histórico, mas, também, para a construção de novas visões e estratégias visando à superação do capitalismo. Nesse sentido, retomar criticamente o exemplo da primeira grande revolução proletária vitoriosa do mundo, é tarefa fundamental para a construção de uma nova ordem societária, sem dominação ou exploração de qualquer natureza, como de classe, etnia ou gênero. A utopia tornada concreta pela classe trabalhadora na Rússia, bem como os escritos de Gramsci servem de estímulo para novas lutas e organizações dos grupos subalternos.
O número 39 (2017) da Revista O Social em Questão pretende reunir artigos cujas temáticas apresentem contribuições acerca do legado da Revolução Russa e do pensamento político de Gramsci. Num momento de grave ofensiva contra os direitos da classe trabalhadora e de intensificação da exploração da força de trabalho, esse dossiê temático se propõe a recordar acontecimentos que transformaram a história e abriram um horizonte de expectativa libertador para as classes subalternas.
Os artigos devem ser enviados até o dia 15 de julho de 2017 para o e-mail: osq@puc-rio.br.

Instruções aos Autores

Submissão on line
Os manuscritos serão submetidos à apreciação do Conselho Editorial apenas por meio eletrônico através do e-mail da Revista osq@puc-rio.br. O arquivo a ser anexado deve estar digitado em um processador de textos MS Word (extensão “.DOC”), página A4, letra padrão Arial 11, espaço 1,5 e margens de 2,5 cm a direita, esquerda, superior e inferior com numeração sequencial de todas as páginas. As notas de rodapé devem estar redigidas em letra padrão Arial 8 com espaço simples.

Processo de Avaliação pelos Pares
Todo original postulado para publicação deve ser original e inédito e não deve ter sido enviado simultaneamente para outras revistas. Ele é avaliado por pares, membros da Comissão Editorial, do Conselho Editorial Científico ou pareceristas externos para avaliação da pertinência temática, observação do cumprimento das normas gerais de encaminhamento de originais e avaliação da qualidade científica do trabalho. Os pareceres sempre apresentarão uma das seguintes conclusões: aprovado como está; favorável à publicação, mas solicitando alterações; não favorável à publicação. Todo parecer incluirá sua fundamentação. Em caso de um parecer favorável e outro não favorável, será solicitado um terceiro parecer.
A revista O Social em Questão assegura o anonimato para os autores e avaliadores no processo de avaliação, permitindo liberdade para julgamentos e avaliações. Após emissão dos pareceres, a Comissão Editorial entrará em contato com os autores. A Comissão Editorial se propõe em enviar a avaliação dos artigos em até três meses depois do recebimento do original. As possíveis modificações de estrutura e conteúdo do texto serão acordadas entre os autores e a Comissão Editorial. Após aprovação, o artigo é revisado ortográfica e gramaticalmente. As alterações eventualmente realizadas serão encaminhadas para aprovação formal dos autores antes de serem encaminhados para publicação.
A revista O Social em Questão está empenhada em manter os mais altos padrões de ética de publicação e toma todas as medidas possíveis contra quaisquer malversações no processo de publicação, segundo os princípios recomendados pelo Committee on Publication Ethics – COPE (http://publicationethics.org/). Todos os trabalhos resultantes de pesquisa, que envolverem populações vulneráveis, deverão apresentar o parecer do Comitê de Ética da instituição de origem do autor.
No ano de 2016, recebemos 103 artigos e foram aceitos 44.

Forma e preparação de manuscritos 1. Artigos temáticos: de submissão condicionada ao período das chamadas temáticas, correspondem a trabalhos originais contendo revisão crítica ou resultado de pesquisas de natureza empírica ou conceitual. Não devem ultrapassar 45 mil caracteres com espaço.
2. Artigos para a seção livre: de submissão aberta e de forma contínua, correspondem a trabalhos originais contendo revisão crítica ou resultado de pesquisas de natureza empírica ou conceitual. Não devem ultrapassar 45 mil caracteres com espaço.
3. Resenha de livros: poderão ser encaminhadas resenhas de livros publicados no Brasil ou no exterior – limite máximo de 10 mil caracteres com espaço.

Estrutura
- Título do trabalho - deve ser apresentada a versão do título para o idioma inglês (máximo de 120 caracteres, incluindo espaços). Apresentar um título resumido para constar no alto da página quando da publicação (máximo de 40 caracteres, incluindo espaços).
- Nome dos autores: a revista publicará o nome dos autores segundo a ordem encaminhada no arquivo.
- Endereço completo de referência do(s) autor(es), titulação, local de trabalho e e-mail.
- Resumo de no máximo 100 palavras em português e versão em inglês. Quando o trabalho for escrito em espanhol, deve ser acrescido um resumo nesse idioma.
- Palavras-chave: mínimo de 3 e máximo de 5.
Os autores deverão informar quais organizações de fomento à pesquisa apoiaram os seus trabalhos.


Ilustrações
Tabelas, quadros, gráficos, figuras, fotos e mapas serão incluídas no corpo do texto e devem ser numerados, por tipo, em algarismos arábico, com suas respectivas legendas e fontes (quando houver) e tendo sido atribuído um breve título.
Todos os documentos gráficos, somente em preto e branco, devem ser nítidos, em alta definição, resolução de 600 dpi em tamanho natural e salvas em arquivos JPG, TIFF ou BMP.

Referências
As referências, cuja exatidão é de responsabilidade dos autores, deverão ser apresentadas de modo correto e completo e limitadas às citações do texto, devendo ser numeradas segundo a ordem de entrada no texto, seguindo as regras propostas pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT, NBR-6023.

Exemplos
Citação indireta
Deve ser indicada no texto pelo sistema de chamada autor-data: (LEFEBVRE, 2008, p.132) ou “Segundo Lefebvre (2008, p.132)...”.
Citação direta
Até três linhas, deve estar dentro do corpo do texto, entre aspas e com a mesma fonte do artigo. Se a citação for superior a três linhas, deve estar fora do corpo do texto, sem aspas, fonte Arial tamanho 10, recuada 0,5cm do parágrafo, com espaçamento interlinear simples e margem direita igual à do texto.

Artigo de Periódico
ROSENFIELD, Cinara L. Paradoxos do capitalismo e trabalho em call centers: Brasil, Portugal e Cabo Verde. Caderno CRH, v.20, n.51, p. 447-462, 2007.

Artigo de Periódico em formato eletrônico
LOPES, Thelma. Luz, arte, ciência - ação! História, Ciências, Saúde - Manguinhos, Rio de Janeiro, v.12, supl, p.401-412. 2005. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/hcsm/v12s0/20.pdf. Acesso em: 22 mar. 2008.

Livro
LEFEBVRE, Henri. Espaço e política. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2008.

Capítulo de livro
SOUZA, Celina. Estado da arte da pesquisa em políticas públicas. In: HOCHMAN, Gilberto, ARRETCHE, Marta e MARQUES, Eduardo. Políticas públicas no Brasil. Rio de Janeiro: Editora FIOCRUZ, 2007. p.65-86.

Teses, dissertações e monografias
LIMA, Nísia V. T. O movimento de favelados do Rio de Janeiro. Políticas do Estado e lutas sociais (1954-1973). Tese (Mestrado) - Programa de Pós-graduação em Sociologia do Instituto de Pesquisas do Estado do Rio de Janeiro (IUPERJ), Universidade Cândido Mendes, Rio de Janeiro.

Trabalhos Apresentados em Eventos
IAMAMOTO, Marilda V. Os caminhos da pesquisa em Serviço Social. In Anais... XI Encontro Nacional de Pesquisadores em Serviço Social, Fortaleza: ABEPSS, 2004.

Relatórios CAMPOS, MHR. A Universidade não será mais a mesma. Belo Horizonte: Conselho de Extensão da UFMG, 1984. (Relatório).
A bibliotecária da revista O Social em Questão promove a revisão e adaptação dos termos fornecidos pelos autores aos índices aos quais a Revista está inscrito. As contribuições serão publicadas obedecendo a ordem de aprovação do Conselho Editorial.

Declaração de Autoria e de Responsabilidade
Todas as pessoas designadas como autores devem responder pela autoria dos manuscritos e ter participado suficientemente do trabalho para assumir responsabilidade pública pelo seu conteúdo. Para tal, deverão encaminhar, após a aprovação do artigo, a declaração de autoria e termo de transferência de direitos autorais. Quando utilizadas fotos com pessoas, estas devem vir acompanhadas da permissão por escrito dos fotografados, mesmo quando não identificados. A utilização de fotos com crianças ou adolescentes deve respeitar a legislação vigente. Modelos serão enviados aos interessados, pela coordenação da revista, quando solicitados pelo e-mail: osq@puc-rio.br.

As opiniões emitidas nos trabalhos publicados, bem como a exatidão, adequação e procedência das citações e referências são de exclusiva responsabilidade dos seus autores, não refletindo necessariamente a posição do Programa de Pós-graduação em Serviço Social da PUC-Rio.

INDEXADORES

Classe Latindex Biblat Diadorim .Periodicos. Sumários.org Sumários.org

LICENÇA CREATIVE COMMONS

Creative Commons Esta obra está licenciada com uma licença
Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.